Contato

Contato: jccubis@yahoo.com.br

domingo, 31 de dezembro de 2017

Cachoeiras Marabá - Congonhinhas - PR - 31 de Dezemdro de 2017

 
 Pra fechar o ano com chave de ouro, mais uma trilha.


  Trilha curta, porém bem perigosa, muito barro, bastante escorregadia.

   Mais uma vez acompanhada do filhão Lucas, aproveitamos a ida ate o norte do estado do Paraná, pra ferias de fim de ano, fomos conhecer essas magnificas cachoeiras.

  
   Localizadas no distrito de Marabá no município de Congonhinhas divisa com Santo Antonio do Paraíso, as cachoeiras são de fácil acesso, porém é necessário bastante cuidado, pois o lugar sempre tem corredeiras fortes. No total são 3 quedas d' agua, mais dessa vez chegamos só na primeira, o rio estava muito violento devido as chuvas dos dias anteriores.


No final rolou até um banho de rio, porem numa área calma do rio.


Assim fechamos 2017, ultimo dia do ano com trilha e banho de rio.

Por: Josimar Cubis

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Cachoeira Bella Mata - Garuva - 07 de Dezembro de 2017

Graças ao Convite dos amigos Rodrigo e Louise pra passar dois dias na Chácara Bela Mata em Garuva, aproveitamos pra fazer uma trilha.


Haviam falado pra gente que era duas horas de caminhada, sendo assim levei meu filho Lucas (5 anos), só não nos avisaram que era duas horas só de ida...


Trilha linda aos pés do Pedra Branca do Araraquara, em alguns momentos pensamos em retornar,  mas a persistência do Rodrigo falou mais alto e chegamos ao nosso objetivo,  a alegria do filhão foi linda de ver, emocionante mesmo.



Cachoeira linda em meio a dois paredões enormes, área pouquíssimo explorada. Incrível o lugar 

Depois daquele merecido banho retornarmos pra chácara, um pouco preocupado com o Lucas, achando que ele não aguentaria andar tanto, grande engano, o pia correu e pulou o tempo todo, total de 5 horas de caminhada ida e volta e o pia chegou tranquilo, tranquilo.


Obrigado Rodrigo pela parceria e pela persistência.
Obrigado meu filho por mais esta trilha....



Por : Josimar Cubis
Mais Fotos:








domingo, 10 de setembro de 2017

Marco 22-Colina verde - 10 e 11 de Setembro de 2017

 
  Apresentado nossas montanhas para o novo parceiro de caminhada Marlos.


  Talvez deveríamos ter começado com uma caminhada mais leve, kkk.

   Eu já havia feito essa trilha, quando fiz a travessia Ciririca - Graciosa, dessa vez a ideia era sair do marco 22 na estrada da Graciosa, chegar na colina verde, acampar e fazer os Agudos no dia seguinte.

   Porem a trilha se mostrou bem mais desafiadora no sentido contrario, saímos bem cedo de casa, deixamos o carro na casa de pedra, andamos até o marco 22 e antes das 08:00 já estávamos na trilha, como já esperávamos a trilha estava linda, natureza esplêndida, rios lindos, mas trilha longa, longa mesmo, passamos pelo salto Mãe Catira, Dique Diabasio, Garganta 235 nesse momento o amigo Marlos cogitou desistir, mas por sorte era só fome.

   Continuamos firmes na trilha, a noite veio, o desanimo e cansaço chegaram juntos, mas já não tínhamos opção e assim seguimos ate alcançar o Objetivo, e a s 21:00 chegamos ao Colina Verde. Barracas montadas, rango feito e foi só dormir.


   No dia seguinte, acordamos tarde e ainda um pouco desgastados do dia anterior, ai decidimos retornar dali, almoçamos no Salto Mãe Catira, o retorno foi mais rápido e antes das 20:00 já estávamos no carro.

   Não chegamos nos Agudos, ficou pra próximo, mas valeu cada segunda dessa trilha: Caminhada perfeita com ótimos amigos. Marlos bem vindo ao time que venham as próximas.

Por: Josimar Cubis

Fotos:





sábado, 29 de julho de 2017

Lagoa Azul - Rapel - 29 de Julho de 2017


   Mais um dia de adrenalina alta e também um dia maravilhoso em família em um lugar lindo.


   Sai de casa bem cedo, acompanhado da esposa, cunhada e o filhão Lucas (05 Anos).

   Destino Lagoa Azul em Campo Magro, uma antiga pedreira que hoje me dia esta desativa e virou ponto turístico de todas as tribos, lá encontramos ciclistas, motociclistas, famílias inteiras fazendo churrasco, uma piazada doida que se arrisca em tomar banho no lago que existe lá, o local também é bem frequentado por montanhistas que praticam rapel e escalada.

   Fui pra lá com o intuito de incentivar meu filho a seguir o esporte do pai, já na chegada escalamos  uma parede, pequena mais serviço pra ele perder o medo da altura.


   Em seguida achei o paredão ideal pra treinarmos rapel, uma parede de 50 metros com bons pontos para a ancoragem, desci sozinho na primeira vez, na segunda vez minha cunhada se aventurou e desceu também.


   Agora chegou a vez do meu filho Lucas, ele não hesitou em começar a descer, porém antes do meio da descida ele ficou com medo e deu uma travada, mais foi só conversar com ele um pouco e tudo resolvido, ao meu lado desceu a parede toda e pediu mais.


   No meio de tanto sobe e desce, nossa atividade chamou a atenção de dois rapazes que por ali estavam, os mesmo se apresentaram e falaram sobre seu interesse no esporte, dei algumas dicas valiosas, emprestei os equipamentos pra eles e deixei os mesmo se divertirem um pouco. Com isso ganhei novos amigos montanhistas: Marlos e o xará do meu filho Lucas.


   Já se passavam das 13:00 hrs e veio a fome, fizemos aquele piquenique na sobra de algumas arvores, nossos novos amigos nos acompanharam nessa hora.

   Barriga cheia e hora de encarar um desafio maior, descer o maior paredão da Lagoa Azul, cerca de 90 metros de descida, ancoragem feita e verificada umas 3 vezes chegou a hora de encarar o paredão, meio tenso na saída devido ao peso da corda que ficou toda esticada parede abaixo. Mais foi incrível, adrenalina alta e paisagem linda ao redor, desci bem tranquilo cerca de 15 minutos de descida.



   Na sequencia o novo parceiro Marlos também desceu, dá mesma maneira calmo e curtindo a descida.


Agora já se passavam das 16:00, hora de ir pra casa, cheio de orgulho pelo coragem do filho, feliz pelo dia em família e pelos novos companheiros.


   Lagoa Azul Voltaremos...

Por: Josimar Cubis

Mais fotos:

sábado, 22 de julho de 2017

Travessia Reserva Ecologica - Ilha do mel - 22 de julho de 2017

   Dessa vez e pela primeira vez um travessia Solo.


  Cheguei na ilha um dia antes da travessia, com a ideia de acordar bem cedo no dia seguinte, e assim foi:

   As 04:00 já estava de pé, com lanterna na cabeça e mochila nas costas, sai de Nova Brasília e fui rumo a Fortaleza, no escuro só eu e o barulho do mar, uma hora de caminhada cheguei na fortaleza, como dali em diante era caminho desconhecido, o jeito foi ficar por ali até clarear o dia.

   Logo que apareceu os primeiros raios de sol voltei a caminhar, uma paisagem lindíssima a frente, de um lado o Mar cheio de golfinhos que por hora pareciam que iriam sair da agua de tão próxima da praia que estavam, do outro lado uma natureza belíssima.


   Assim fui prosseguindo sempre na beira da praia sem saber o que vinha pela frente, passei por alguns pontos interessante como: Um mini cemitério, uma base da Marinha, a rádio Farol, uma espécie de farol ou mirante lindo e abandonado.





   Pelo caminho encontrei varias tartarugas mortas de diversos tamanhos, um local que batizei de Agua viva devido a quantidade assustadora de aguas vivas que avia ali na praia.

   Passei por um imenso mangue, barro pelo canela hehehe, logo começaram os sinais de civilização, um cultivo de ostras e logo a frente uma vila de pescadores, continuei caminhando  e de repente mesmo longe já deu pra ver Nova Brasília, onde tudo havia começado, dava pra ver também o farol das conchas.


 Mais uma hora de caminhada e conclui a travessia, mas não satisfeito dei um pulinho ate o Farol.


E foi assim, em solo, só eu e Deus, uma inesquecível travessia por um lugar inesquecível.

Por: Josimar Cubis
Fotos: